quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Fez

Fim de semana fomos todos os treinees para Fez com o nosso amigo Chakib. Fez localiza se no centro norte do país e tem cerca de 950 mil habitantes, foi a capital do Marrocos por vários anos, e agora é conhecida como a capital cultural. A medina de Fez é incrível, enorme e tem muita coisa interessante, o lugar é diferente e encantador, foi  declarada PATRIMONIO MUNDIAL DA UNESCO em 1981.


Para visitar o curtume muito famoso em Fez, os visitantes andam por ruas estreitas, cheias de labirintos, toda em estilo medieval. Todos os nossos cinco sentidos são exigidos, o cheiro na chegada ao "curtume" é muito forte, somente alíviado pelos ramos de arruda ou menta que os visitantes recebem ao chegar ao terraço, onde se tem uma visão impressionante e completa do tingimento do couro e da medina.



Também fomos ate Ifrane, para mim, pela segunda vez, pois já havia passado o Fim de Ano lá. Mas a cidade é muito bonita, então vale a pena, e desta vez o clima estava mais ameno. Conhcemos a maior e melhor Univerdidade da África do Sul, os estudantes moram lá, tem quadras de esportes, piscina, realmente me impressionei com o lugar.



Segue algumas fotos do final de semana:

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Ramadan

Conversei hoje com um amigo, sobre o Ramadan. Ele me explicou um pouco como esta prática é exercida e eu achei muito interessante postar aqui:
O Ramadan é um período que tem em média 30 dias e é celebrado todos os anos. Durante este mês os muçulmanos praticam o seu jejum ritual, é uma forma de se igualar um pouco às pessoas que não tem recursos, renovar o sentimento de amor ao próximo e a fé. Neste período eles praticam a leitura assídua do Alcorão e vão com frequência à mesquita.
O jejum é obrigatório a todos os muçulmanos que chegam à puberdade, e para eles este é um momento muito importante, marca a passagem para a vida adulta. Durante a madrugada, há uma pequena refeição (su-hoor) que substitui o café da manhã , feita com alimentos e bebidas, com a intenção de realizar o jejum que estará por vir, porque o Su-Hoor é uma benção enviado por Deus, segundo o Alcorão.

Aqui, como em qualquer parte do mundo também tem muita gente dormindo nas ruas, vendendo bala no sinal e pedindo dinheiro. Esses dias eu e o meu amigo estávamos caminhando na rua, e ele deu umas moedas a um menino na rua...disse que quando vê alguém passando fome, lembra do período do Ramadan e consegue entender o que é a dificuldade sentir fome.

 "... e aquele dentre vós que presenciou a Lua Nova deste mês (Ramadan), deverá jejuar, e aquele que se encontrar enfermo ou em viagem, jejuará depois o mesmo número de dias...". Alcorão Sagrado (Surat Al-Baqara - C.2, Versículo 185).


"O jejuador deve abster-se de tudo que vai contra a moral, pois o jejum é visto como uma grande prática de disciplina e da doutrina, tanto espiritual como moral. A ação não se limita somente à abstinência de comer ou beber, mas também de todas as coisas más, maus pensamentos ou maus atos. O jejuador deve ser indulgente se for insultado ou agredido por alguém, deve evitar todas as obscenidades, ser generoso, bem mais do que os outros meses e aumentar a leitura do Alcorão"

Fonte: wikipédia

.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Trânsito caótico

Uma das coisas que mais me impressionou aqui no Marrocos, foi o trânsito! Sim! O trânsito aqui é caótico, ninguém respeita nada, nem ninguém. Os motoqueiros normalmente não usam capacete, os carros desrespeitam os sinais se trânsito, os pedestres desrespeitam a faixa de segurança...enfim é muito perigoso, eu já presenciei acidentes e brigas, por várias vezes.
Aqui as pessoas normalmente andam de táxi porque é muito barato, porém o taxista não leva você aonde você quer, você é que tem que se adequar no trajeto dele. Os táxis vermelhos podem ser usados por três passageiros e os táxis branco seis.
 E os táxis são muito velho, tem uns que dá medo, e se você usa o cinto, vai sujar a roupa, é bizarro. Mas confesso que andar de táxi, pagando pouco não é nada mal e bastante pático.
video

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Fim de semana em Rabat


Fim de semana em Rabat tinhamos duas comemorações, aniversário de Leonardo (joinville) e Rodrigo (salvador). Peguei o trem na sexta feira e mandei pra lá... achei a cidade de Rabat muito bonita, pareceu me mais organizada  e limpa do que Casablanca, talvez por se uma cidade bem menor.
Eu estava muito curiosa para conhecer a Odaya's house. Odaya é obairro onde moram os treinees que vivem em Rabat, e a casa é bizarra porque não tem teto na sala, e eu pude costatar o que acontece quando chove la...É muito interessante este bairro, é estilo uma fortaleza, coisa de filme mesmo.


Na casa conheci Áuris (Venezuela), Rishi (Índia), Myanke (Índia), Otília (Romênia) e um marroquino que não lembro o nome. Depois fomos para um PUB, muito bacana o lugar, o único problema é que as pessoas
fumam demais, aqui não é proibido fumar em locais fechado.

No sábado fomos almoçar na Medina, é uma espécie de camelô que tem em todas as cidades do Marrocos, na medina tem tudo o que você procurar, mercado informal, mas muito interessante.

Depois caminhamos um pouco pela cidade e entramos em um Condomínio onde vivem alguns dos parlamentares do Rei,  e também um de seus castelos.

Por uma "baita" coinscidência quando estávamos voltando encontramos mais dois brasileiros que também estão vivendo em Rabat. A Clara (porto alegre) e Lucas (são paulo), rapidamente já agregamos os dois para a nossa festa de sábado a noite...na Odáya's house.
Depois fomos para uma baladinha curtir a noite, quando chegamos todos estavam assistindo jogo, mas logo o dj começou a tocar e a festa começou. Antes da 3:30 da manhã já estávamos indo embora pois a casa estava quase fechando. Valeu a pena!!

Domingo fomos conhecer um pouco da praia, que fica na saída do forte Odaya's. É beeeeeeem diferente das nossas praias, mas tinha gente jogando futebol na areia e surfando.
Hora do almoço, fomos a um restaurante típico, estava muito bom...enfim foi um final de semana com bastante atividades, pudemos tirar muitas fotos e nos divertir bastante. Acessem o link para ver mais fotos do final de semana. Até.

Mulher e Religião


Li o blog de um amigo que está aqui no Marrocos, o Rodrigo, e achei interessante postar algumas informações que ele escreveu sobre as mulheres e a tradição Muçulmana:
Todos sabem que é da tradição muçulmana que as mulheres não mostrem sua forma. Aqui no Marrocos esse hábito não é obrigatório, uma vez que o país não segue à risca todos as tradições muçulmanas pois ele não é regido 100% pelas leis islâmicas, sendo um estado "meio laico", ou seja, há leis e regulamentações feitas também pelo governo, tornando o Marrocos um dos países muçulmanos mais liberais.

Voltando às mulheres: é muito comum você ver na rua mulheres com e sem véu, para mim a proporção ta 50% a 50% de mulheres que cobrem ou não o rosto. É nomal ver grupos de garotas andando na rua, umas com, outras sem... Indo mais para o interior, já é mais difícil de ver mulheres até mesmo com o rosto descoberto, mas uma coisa que eu não sabia é que não é obrigatório cobrir todo o rosto, como diz o sheikh Juma Momade nessa entrevista:

"'Deus ordenou que as mulheres cubram todo o corpo, exceto a face e as mãos. É uma tradição de 1.431 anos', diz. Não se deve, de forma alguma, chamar a atenção dos homens. Já a burca e o niqab não são usados porque o Islã ordenou; são instrumentos de quem quer ir além do que determina o livro sagrado.
Ele ressaltou ainda que o uso de véu é um costume de outras civilizações, até as mais antigas. "Está na Bíblia, no Torá. Judias usavam, há mais de 5 mil anos, e não se pode esquecer de Maria, mãe de Jesus. E as freiras católicas, não colocam até hoje?"
Para completar o traje, não é preciso usar apenas os tradicionais vestidões de mangas compridas e cores discretas. Calças também são permitidas, desde que largas. É proibido revelar as formas femininas."
 
Modéstia islâmica
Em algumas subculturas Islâmicas, mulheres escolhem se usam o niqab, uma peça de roupa que pretende ocultar cada parte do corpo, às vezes incluindo os olhos. Usar um niqab (às vezes referido como burqa, embora este termo tecnicamente só aplica a uma peça de roupa afegã) é bastante comum em muitos países Islâmicos. Interpretações Islâmicas exigem das mulheres cobrir tudo, com a exceção das mãos (o pulso) e rosto; a escolha de estender isto ao rosto e mãos é voluntário, e expressa maior modéstia e santidade a muitos. No entanto, alguns entendem que os ensinos do Alcorão em vestimentas exigem das mulheres usar o niqab. Mulheres Muçulmanas adicionalmente, muitas usam o headscarf Islâmico, ou hijab, como um meio de expressar a modéstia.
Em países bem Islâmicos, tais expressões de modéstia são voluntárias. Em outros, tal como Afeganistão sob o Taliban, eles foram impostos sob a ameaça de castigo físico severo."

Fonte: Wikipedia


Onde tudo começou

O Alcorão, livro sagrado dos muçulmanos, foi revelado ao profeta Muhammad durante vários anos de sua vida, isto é, a revelação completa se deu após um longo período. Um dos mandamentos Islâmicos para as mulheres foi a modéstia e recato nas vestimentas. O Alcorão diz:"Ó filhos de Adão, enviamos-vos vestimentas, tanto para dissimulardes vossas vergonhas, como para o vosso aparato; porém, o pudor é preferível! Isso é um dos sinais de Deus, para que meditem." [Alcorão Sagrado 7:26]
"Dize às fiéis que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores e não mostrem os seus atrativos, além dos que (normalmente) aparecem; que cubram o colo com seus véus e não mostrem os seus atrativos." [Alcorão Sagrado 24:31]
"Ó Profeta, dize a tuas esposas, tuas filhas e às mulheres dos fiéis que (quando saírem) se cubram com as suas mantas; isso é mais conveniente, para que distingam das demais e não sejam molestadas; sabei que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo." [Alcorão Sagrado 33:59]
Os grandes sábios do Islam, após, um grande estudo baseado no Alcorão, nos ditos e nas ações do profeta Muhammad, seus companheiros e companheiras, estabeleceram que a vestimenta da mulher muçulmana deve:

-  Ser modesta, recatada; com função de proteger suas partes privadas e adornos fisícos.
- Cobrir todo o corpo revelando apenas as mãos e o rosto.
- Evitar os exageros; luxo.
- Ser bem cuidada e limpa.
- Fugir de tecidos transparentes, modelos rente ao corpo e revelador de suas curvas.
- Ser feminina, não assemelhando-se às vestimentas masculinas.

Tendo sido isto estabelecido pelo Islam há 1400 anos atrás, as primeiras muçulmanas assimilaram a exortação e praticaram o uso de roupas de acordo com a lei Islâmica, isto é, passaram a usar vestimentas mais modestas, condizentes com o Alcorão

Por isso, a questão de se cobrir toda - ou não - é meramente cultural e não tem nada a ver com a religião. Para as mulheres que fazem isso, é apenas uma questão de respeito. Independente de cobrir todo o corpo ou apenas parte dele, a ideia de deixar apenas o rosto e mãos à mostra (ou não) serve apenas para não incitar o desejo masculino, sendo quase como medida de proteção.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Happy New Year!!

Ta na hora de atualizar o fim de semana...
Recebemos um convite do pessoal da AIESEC de Casablanca para passar o fim de ano em IFRANE, uma cidade aqui do Marrocos. Até ai tudo bem, convidamos os brasileiros que estão em Rabat e partimos para a nossa peregrinação. Pegamos um trem, e já no trem começamos a perceber que talvez teríamos trabalho com aquela "criançada", pois levantaram a idéia de passar a virada de ano, jogando uma espécie de banco imobiliário. Levamos mais ou menos umas três horas para chegar até a estação de Maknes e depois pegamos um táxi, mais ou menos uma hora para chegar a linda cidade de Ifrane.
Desenvolvida pelos francese esta cidade de tem um aspecto notavelmente europeu, como se fosse uma aldeia alpina. Por causa de sua elevação, a cidade experimenta nevedurante os meses de inverno, e um clima fresco durante o verão. Possui bosques semelhante aos europeus e cerejeiras, típicas das regiões de clima frio.

Chegamos a cidade já estava perto das seis da tarde, fazia muito frio, mas muito mesmo...e o pessoal que tinha uma faixa etária de 20 anos estavam completamente perdidos. Ficamos uma hora na rua com todas as mochilas no chão esperando a galera se "achar". Então foi combinado um jantar à brasileira, e a Juliana se encarregou de cozinhar um ótimo estrogonoff de frango...como o pessoal não bebe, nós ja havíamos nos adiantado e levamos três garrafas de vinho e duas de champanhe.
Logo depois da janta o pessoal ja estava de pijamas, e isso não era nem dez da noite, agora tinhamos certeza que tinhamos caído numa fria. Sem muita opção do que fazer porque o pessoal da casa ja estava se preparando para o tal do jogo, o baiano ligou para Otília  a romena que mora com ele e que também estava por Ifrane, e então resolvemos todos nos reunir para a virada da noite.
No outro dia nos encontramos novamente com o pessoal da AIESEC e fomos conhercer um pouco mais da cidade, o Rei também estava lá por isso havia muitos policiais, e algumas ruas estavam fechadas. A noite fomos para um café, e depois voltamos para casa, estava realmente impossível ficar na rua com aquele frio. E o pior a casa não tinha água quente, então ficamos três dias sem tomar banho, coisa que por aqui é natural. Na volta o tivemos um atraso no trem por mais de duas horas...enfim foi um fim de ano bemmm diferente, sem praia, banho, fogos de artifício, champagne, festa, roupas branca mas ta valendo...